Publicidade

domingo, 30 de novembro de 2008

Orgulho de ser escoteiro

Já perdi a conta de quantas vezes eu já disse isso aqui neste blog, tão adorado pela Carol, mas eu sinto, realmente, muito orgulho de ser escoteiro. A cada fim-de-semana com a gurizada a gente, além de ensinar, aprende. E ontem, 28, os escoteiros do grupo Lídia Moschetti - o qual pertenço há quase 12 anos - me fizeram ter orgulho.

Na sexta-feira surgiu uma idéia. Fazer uma campanha de arrecadação de donativos para ajudar os catarinenses - estas iniciativas fazemos todos os anos, no início, para ajudar no inverno. Como ninguém que lê esse espaço é ignorante, sabe muito bem que Santa Catarina tá sofrendo pra caralho com as enchentes, coisa e tal, coisa que há 25 anos não ocorria - o Piero, aliás, fez uma ótima análise sobre o que está acontecendo no Estado vizinho.

Eis que ontem, então, as programações de todos os ramos - o movimento escoteiro é dividido em quatro ramos: os lobinhos, os escoteiros, os sêniores e os pioneiros - foram canceladas. Por que? Ora, bolas. Unir todas as forças para um ideal: ajudar os catarinenses.

Por incrível que pareça, fiquei muito surpreso com o que ocorreu. Fazia tempo que eu não via todo mundo junto - mas todo mundo, mesmo, de crianças a pais - procurando ajudar os mais necessitados.

Apesar da repentina idéia, todos aderiram e foram, sem reclamar - o que é muito difícil tanto nos jovens quanto nos véios hoje em dia - buscar os donativos. Percorremos dois bairros da comunidade e nos postamos no supermercado Hoffmann da Zona Sul de Porto Alegre, num calor filho-da-puta, e o que se viu foi um show de solidariedade. Pela contagem inicial, foram arrecadados cerca de 100kg de alimentos, uma cama, dois colchões, e incontáveis mudas de roupas.

Mas não foi apenas isso que a gurizada fez para me deixar orgulhoso. Todos os anos, no final do ano, ocorre o acampamento com todo o grupo para se divertir. Para conseguir baratear os custos, a gurizada vende rifas, já que parte é revertida para a taxa de inscrição. As crianças, justo as que se beneficiam, abriram mão dessa "reversão para a taxa" e solicitaram que todo o dinheiro fosse encaminhado às contas da Defesa Civil de Santa Catarina.

É por essas e outras que sinto orgulho de ser escoteiro.

***

Update - 30/11/2008, 22h12min: 290 kg de alimentos, 100 litros d'água, uma cama, dois colchões e muitas roupas.

5 comentários:

Pedro Favaro disse...

Dizem que a natureza humana é má, mas frente a um problema que nos afeta a todos, mostramos um lado solidário que enche de esperança até os mais cínicos ortodontistas!

Pequena Kah disse...

Concordo com o Pedro no comentário aí de cima. :D

Existe um lado solidário em nós, é impossível ficar alheio ao que aconteceu a Santa Catarina, se mais gente se envolvesse nessa causa, a ajuda seria ainda maior. Esse orgulho que vc sentiu faz bem, e como faz, ele se chama esperança.

Beijo Grande Guri.

Anônimo disse...

valeu.deves lembrar de uma minima ;uma vez escoteiro sempre escoteiro.por ilso.mesmo que voce nao tivesse sido escoteiro em certas pessoas o desejo de ajudar.katzwinkel,da tambem atingida brusque sc

vanessa disse...

Posso dizer q a me emocionei cm o texto, pq sei que isso é verdade!!!
Quando penso q o q ocorreu foi aki pertinho do RS, imagino que podia ter sido cm nós e isso me d´mais vontad d ajudar...
SAPSMP!!!
bjokas

Carolina disse...

Ser escoteiro é legal sim.
Minha chará deve ter algum problema pessoal com vc. Deve ser alguma ex peguete que vc sacaneou! rs!
E quanto à arrecadação, parabens!