Publicidade

quinta-feira, 27 de março de 2008

IRRD

Pastor: Irmãos! Vamos nos levantar, irmãos! Não sejam tímidos! Vamos! Levantem-se! Vamos, juntos, trazer a paz aos nossos corações e, assim, fazer um mundo melhor. Como diz aquele velho ditado: a esperança é a última que morre – assim como as sogras, os inimigos e as baratas.

Isso irmãos! Vamos orar! Mas, antes, é preciso ajudar a mim, digo, esse nosso templo. Essa instituição que tanto os faz bem. A caixinha está passando, e não aceitamos doações abaixo de cem reais.

Fiel 1: Mas esse é o meu salário, pastor!

Pastor: Irmãozinho, meu salário, antes, era de dois reais por dia, que eu guardava do lanche. Após um ano doando ao cofre, consegui comprar um PlayStation. Era paraguaio, é verdade, mas eu comprei. É preferível que a sua família não coma neste mês para que, no próximo, tenha abundância de comida.

Isso irmãos. Nós temos que ajudar a Igreja Rodrigostal do Reino do Dias. Porque, aqui, nós conseguimos aliviar sua dor. E não somos baixos, como aquele que se diz missionário de Deus, um tal de Ronildo Peçanha. Enquanto ele diz que ressuscitou um time de futebol morto, eu já estava no sertão brasileiro trazendo chuva para aquele povo desgraçado. E hoje não chove mais no sertão.

(In)Fiel 2: Pastor, não chove no sertão freqüentemente.

Pastor: HEREGE! Irmãos, vamos tirar o diabo do corpo desse rapaz. Pra cima dele, galera. Eu não estou ouvindo: fechem as mãos e calibrem seus pés. O capeta só sairá desta criatura a socos e pontapés. COM VONTADE IRMÃOS!

Multidão gritando “Sai capeta” e chutando o coitado.

Mulher do (In)Fiel: Mas ele é meu marido.

Pastor: Então és uma herege também.

Fiéis em coro: Vamos tirar o capeta dela também.

Pastor: Não! Nada disso. Quem vai tirar o diabo do corpo dela sou eu.

Mulher do (In)Fiel: Como, meu Deus?

Pastor: Primeiro, eu não sou Deus, apesar de parecer. E você, minha gracinha, vai lá pros meus aposentos. É lá que vou dar no coro, digo, tirar o diabo do teu corpo. E quero ver se tu não vai agradecer a Deus por tudo isso.

Neste instante, uma bela moça pediu voz

Bela Fiel 3: Voz!

Pastor: Pois estás com ela. Aleluia, irmãos! Ela era muda e voltou a falar. ALELUIA!

Fiéis em coro (ainda dando pontapés no outro): Aleluia.

Bela Fiel 3: Pastor, suas pregações são divinas.

Pastor: Não, minha bela moça, não são divinas. Nada, em mim, é divino. Isso é, praticamente, uma heresia... Não! Não! Tirem o capeta desse aí, que ainda não saiu. Essa bela fiel, eu disse, praticamente cometeu heresia. Mas ela não está com o demônio no corpo. Deixem que, dela, cuido eu. Agora, minha querida, vá lá para os meus aposentos.

Bela Fiel 3: Por que? Sou herege, agora?

Pastor: Não, é claro que não. Apenas quero lhe mostrar o Divino.

Bela Fiel 3: Mas, hein? Como assim?

Pastor: É que aqui é assim: ajoelhou, tem que rezar.

Bela Fiel 3: Eu não ajoelhei, senhor!

Pastor: Ainda... ainda...

6 comentários:

Felipe Fonseca disse...

É engraçado mas real em alguns lugares.

Se tiver precisando de auxiliares na tua igreja, Rodrigo, estamos aí...
rs


Abração!!!

Vinícius Ghise disse...

Mas que coisa heín... bom, certamente vais precisar de um diretor musical/assessor de imprensa, para ampliar o rebanho e "fidelizar as fiéis" hahah.

Parabéns pelo texto, muito legal!

Bianca Rieth disse...

O meu professor de textos jornalísticos, obrigada pelas dicas.
Como sempre, belo texto =D

beijos

Izze. disse...

Eu sou atéia e assim continuarei. *Medo!*

Só isso a declarar.

Mariana disse...

uau
hahahahha
gente como pode isso ser tão... verdade?
Eee igrejas...

:****

Mary West disse...

HAHAHAH! Adorey! Muito bem escrito e criativo, é engraçado até onde vai mesmo o lado ingenuo de algumas pessoas, falta de confiança propria eu acho. ;)