Publicidade

quarta-feira, 30 de julho de 2008

(Praticamente) Impossível

Este é Francisco: cabelos ondulados que vão até o pescoço, um nariz um pouco avantajado, tipo italiano. A boca? Bem, mais parece uma fatia de queijo, de tão fina que é. Seus olhos azuis em contraste com sua pele morena - nada de bronzeada do sol.

Francisco é um cara apaixonado. Não apenas pela vida, mas pelas mulheres. Nossa, como é mesmo apaixonado pelas mulheres. Não consegue passar uma semana sem um rabo de saia. Não que ele seja cachoro, mas é que não adianta. Pelo menos uma vez por semana tem que dormir com alguma guria.

Enfim, eis que Francisco - El Garanhón, como alguns amigos imbecis o apelidaram - resolve se apaixonar. Não aquela paixão de uma semana, mas aquela paixão ardente, que faz qualquer homem enlouquecer e ficar abobadamente idiota. É! Ele se apaixonou.

Não dá pra negar. A guria é linda. Morena, cabelos cacheados que, segundo ele, parecem ir até metade das costas. "Não é gostosona, mas deve ser daquelas que têm tudo no lugar", vive dizendo. Segundo ele, parece daquelas falsas magras: parece que é uma coisa, mas, na verdade, é outra - e muito melhor que se imagina.

Aos poucos a paixão foi consumindo-o por dentro. Não consiguia ficar longe dela. Conversar pelo menos uma vez por dia era algo praticamente sagrado. Precisava vê-la. Sim, sim, precisava vê-la.

Gostava daquele sorriso espontâneo, aquela risada gostosa que faz qualquer um procurar deonde vem. E quando solta os cabelos? Francisco vai à loucura, pois parece aquela modelo da L'Oreal.

E a boa? Ah, a boca. Nossa, que boca maravilhosa ela tem. Boca carnuda, que pede para ser mordida como se fosse o chiclé de menta mais gostoso do pedaço. Puta que pariu, ela era, definitivamente, a guria dos sonhos dele.

Além disso, ela é ninfomaníaca. NINFOMANÍACA. Era tudo o que queria: uma guria com quem, além de ter um bom papo - e ela tem -, pudesse fazer sexo por horas e horas diariamente. Afinal, odiava academia, e o sexo era o único exercício que ele gosta de fazer.

Porém, outro dia ele ficou triste. Triste pra caralho, pra dizer a verdade. A guria que ele tanto quer, que ele se apaixonou - e não só por ser ninfomaníaca, mas também por isso -, é praticamente impossível de namorar. Não, ela não tem namorado. Pra Francisco, o fato dela ter um eventual namorado não o incomoda. O problema, mesmo, é que ele mora em Porto Alegre e ela no Rio de Janeiro.

Porra, Rio de Janeiro? Vai te foder, Francisco. Arranja uma gaúcha e seja feliz. Mané!

9 comentários:

Tunai Giorge disse...

.

HIAUHaiuHauihIUAHiauhia
muito bom, o último parágrafo então... Imaginei tu ali, ouvindo o cara até o momento final, é de mandar o cara de foder mesmo.
=P

.

Nina 512 disse...

Quase te amo Francisco...

quase te amo

^^

Piero disse...

Eu namorei uma guria de outro estado. Bem mais longe que o Rio de Janeiro. E ninfomaníaca (os detalhes param por aqui). Não é impossível.

CoiSA disse...

Cara***, ótimo o post. Fiquei te imaginando falando isso na cara do indivíduo, seria hilário. uhiauea

Izze. disse...

HUAahua

Poderiam ter dito isso pro Thui!
Eu de SC e ele daqui. xD

Mas dá pra namorar tranquilo à distância. Pelo menos pra mim, que não sou muito ligada nas coisas da carne, foi assim. Mas quem tem que encostar na pessoa amada todo tempo...

Tadinho do Francisco.... =B

Jongleuse disse...

Sempre as cariocas...

Mar e Ana disse...

huahuahaua Eeee Francisco!

:*

Tatah Marley's Confissões disse...

aeeeeeeeeeee.
O Francisco sim tem um bom coração!
kkkkkkkkkkkkkkkk
que triste.. mais quando a coisa é forte não há distancia que impeça a felicidade!
(que bonito, diz ae.)

beeijo

Mary West disse...

Francisco simplesmente naum gosta de se acomodar. Entendo o rapaz. :D