Publicidade

sábado, 10 de janeiro de 2009

Carta a alguém especial

Oi Vô, tudo bem?

Pois é, meu velho, quanto tempo que a gente não se fala, hein? Muito, não é?

Sabe por que estou escrevendo este texto? Não? Para te agradecer, véio Dilon. Ou tu acha que eu esqueceria tudo o que fizeste por mim durante esse tempo todo?

Ah! Não vem começar a perguntar "agradecer pelo que, meu neto?". Modéstia é bom, mas só de vez em quando. E, agora, eu tenho que te agradecer e tu vais parar de frescura.

Mas aí, quem diria, né? Quem diria que aquele teu pequeno gesto logo nos meus primeiros anos nesse mundo iriam influenciar em minha vida, não é? Acredito que nunca pensaste que, ao me tirar do berço algumas madrugadas e algumas manhãs, me colocar no teu colo e me "forçar" a assistir as corridas da Fórmula 1, ditaria os rumos que tomei. É ou não é?

É, véio Dilon, tu fizeste isso mesmo. Me fizeste assistir longas corridas e, agora, sou fanático por este esporte a motor. Como sabes, foi por causa dele que escolhi ser jornalista, não é? Pois é. Ainda não creio nisso. Aliás, não creio que esse teu gesto também ditou os rumos do meu Trabalho de Conclusão de Curso. Isso mesmo, aquele em que fui "aprovado plenamente" pela banca, no dia 16 de dezembro de 2008. Que coisa, não?

Pois é, meu véio. Por isso que escrevo neste pequeno espaço este agradecimento. Faço isso porque não tenho como te agradecer pessoalmente. Deus quis a tua companhia logo aos meus dois anos de vida e, infelizmente, só te tive ao meu lado em espírito, não em corpo.

Não pude te levar aos autódromos para as coberturas que realizei, não tive a tua presença na minha banca e nem na minha formatura. Falando em formatura, sabia que hoje, dia 10 de janeiro de 2009, eu me tornei jornalista? É! Me tornei jornalista, véio. E tudo isso por tua culpa causa. Tu é foda, véio.

Enfim, mais uma vez, muito obrigado. Pode deixar que, daqui uns anos, a gente põe o papo em dia. Mas espera um pouco. Ainda tenho muito trabalho pra fazer aqui. Aguarda mais uns, deixa eu ver, 70 anos e aí a gente dá uma trela.

Beijo, vô. Te amo.

Texto em homenagem ao meu avô, Dilon Corrêa Dias, que, apesar do pouco tempo de convivência, definiu o meu destino.

15 comentários:

Piero disse...

Preciso dizer que tu matou a pau? Não, né?

E quem disse que ele não estava contigo em todos esses momentos? E quem disse que ele não estará lá hoje na cerimônia?

Parabéns meu velho!

Marcella disse...

Gostei do agradecimento ao teu avô, muito bonito e sincero. Ah e parabéns!
Beijos

Gabi disse...

Bah guri!
chega de me emocionar. Em menos de 24h tu bbateu o recorde.

Meu vô faleceu 2 dias depois que e passei no vestibular.

e eu nunca vou esquecer da felicidade que ele me passou naquele dia.

DALE JORNALISTA.!!!

Daqui uns 2 anos podemos dominar o mundo juntos? Me espera?

Felipe Fonseca disse...

Parabéns pelo texto, senhor jornalista Rodrigo Dias. Pode saber que teu avô está muito feliz pelo dia de ontem, e por todos os dias que virão até vocês baterem o papo que tu prometeu.

E parabéns, mais uma vez, pela tua formatura!!!

Agora, um pedido dos teus amigos egoístas: demora bastante pra ir falar com teu vô, tá??? hehe

Abraço!!!

Vinícius Ghise disse...

Não teria como não ficar fitando o vazio por alguns momentos...

Aí está uma das coisas mais bacanas da vida, lembrar e ser lembrado.

Sem palavras, parabéns brother!

Rodrigo Dias disse...

Gabi,

Claro que te espero. ^^

Beijo

aneroL ♥ disse...

olá, n sou escritora mas às vezes tenho mania de escrever.. estou começando a adicionar blogs ao meu. gostei do seu, e vou adicioná-lo ao meu ok?! n sei se o que escrevo eh o tipo de coisa que voce gosta de ler. mas dá uma passadinha lá quando possível..

Juh... disse...

feliz por vc amiguinho
que venham muitas outras novas conquistas
e que sua vida seja repleta de pessoas como seu avô...que marcam nossos destinos
;*********

Mary West disse...

Oh que lindo. Adorey. Aki na minha cidade tem um rapaz que mantem uma coluna quase que assim, escreve contando os fatos atuais a mãe jah falecida. Jah disse que ele deveria era fazer um blog. :D

Felipe Nabinger disse...

Com certeza esteja onde estiver teu avô está orgulhoso.

Mais uma vez parabéns Rodrigo.
Muito sucesso nessa profissão que estressa, remunera mal... mas a gente adora e não trocaria por nada no mundo!!!

Grande abraço.

Nathália Monte disse...

oiee! eu me metendo aqui..eh que eu gostou pra caramba do teu blog..vou vim mas vezes ta kk

se Cuiida=*

Vanessa Reis disse...

Caramba! Que lindo...
Parabéns, Rodrigo! Pela formatura, pela escolha da profissão, por ter tido um vô tão bacana e ser grato até hoje. A carta tá mesmo emocionante...

André Roberto disse...

Ponte que partiu meu... Agora lembrei do meu próprio velho... Deles dois né, do pai, e do vô...

Bah, chorei velho, muito bonito o que escreveste...


ABraços...

André Roberto disse...

Ahh, e antes que eu me esqueça, rsrs, parabéns pelo post,agora na condição de JORNALISTA.

Bonito né? Parabéns pela conquista velho, já te disse, mas não me custa dizer de novo, rsrs...


Abraços e SUCESSO!

Adrenalina e Endorfina disse...

e nem mudou o perfil onde diz "futuro jornalista".