Publicidade

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

A maturidade dos rappers americanos


"Estamos tentando mostrar o nosso lado maduro. Nós amamos esse disco". Essa frase foi dita por um tal de Pleasure, um dos componentes do grupo Pretty Ricky. Conheces? Não? Eu também não conhecia, até ver um programa enlatado chamado Behind the Video transmitido pelo Multishow.


Quem lê o início logo deve pensar algo como "Esse grupo deve falar sobre as merdas que ocorreram na vida deles, ou sobre a maldita divisão entre brancos e negros que ocorre naquele país que se acha o dono do mundo". Afinal, maturidade significa olhar tudo o que olhávamos antes com outros olhos, normalmente com uma visão reflexiva e crítica - bem, essa é a minha opinião; se pensas ao contrário, escreva nos comentários. =D

Durante o programa eu fui ver o que era a tal maturidade. Aparecem quatro caras se achando os gostosões. Até aí tudo bem: qual rapper não se acha gostosão? O problema foi justamente na letra "madura" que os caras escreveram, intitulada Late Night Special.

Como sou um péssimo tradutor e o Google também, vou me basear pelo que o Multishow legendou. Desde quando "vou falar obcenidades no telefone pra você às 5h30 da manhã" é maturidade? Ou, então, "eu penso em você por cima, mexendo o quadril"? Ah, vale destacar outras partes, como "vista sua calcinha fio-dental" e "você é daquelas que fica sensual até de cueca".

Bem, sou um cara longe de ser maduro. Adoro falar besteiras, bobagens, e outras coisas bagaceiras. Mas, sei lá, isso que esses caras do Pretty Ricky disseram não se encaixa na (minha) concepção de maduro. Entretanto, quem disse que estou certo?

Agora, quem critica os cantores de funk, mas ovaciona os rappers americanos, tem de rever seus conceitos: é tudo a mesma porcaria.

4 comentários:

Izze. disse...

Concordo em tuuuuuudo o que você disse. Isso só é maturidade pra gentinha da laia deles, mesmo.Qualquer pessoa com bom senso nota que são apenas pessoas sem talento pra algo que preste e que criam essas coisas pra ganhar uma grana. E o que mais incomoda é que eles ganham mais do que a gente. Mas vamos olhar pelo bom lado, essa onda de Hip Hop vai passar um dia, e metade desses "artistas" vai ou voltar pro "gueto" de onde vieram, ou parar na prisão. Ninguém sobrevive muito tempo cantando isso, porque ninguém aguenta muito tempo ouvindo isso.


Mais uma coisinha... Que foto "sou-do-backstreet-boy" é essa da banda? xD

Manu disse...

Pra eles isso é cultura. Como o funk é para alguns brasileiros.

Sinceramente, sou muito mais feliz em ter como cultura músicas que falam "quem quiser saber quem sou, olhe para o céu azul..."

:)

Tisserand disse...

É tudo a mesma coisa mesmo. Uma bosta. O funk, pelo menos, tem umas gurias pra olhar....

Mas falando sério, entendo por "amadurecimento" de forma bem semelhante a tua, o que passa longe do que pensam os rappers aí citado.

Mas estão na deles. Fazendo um pé-de-meia, enquanto nos corremos atrás da máquina.

Azar é do golero...

abraçao

Fabio

Raquel Verardi disse...

Mesma coisa? Claro que não...
As bestas que dançam o pancadão estão entendo o que está sendo dito, os happers ainda tem a desculpa de serem americanos.
Dai vem alguém e lê uma tradução e diz: nooossa, não sabia que eles escreviam tanta baixaria.


É, que saudade da MPB, da Bossa Nova...